Sudeste Asiático

O trem noturno de Bangkok até Chiang Mai

  

Mochilão que é mochilão não seria mochilão se não tivesse viagem noturna de trem. Com isso em mente, lá fomos nós para a nossa primeira aventura ferroviária noturna na Ásia. Eu vou confessar que sou uma grande fã dos trens noturnos já que o balanço me embala a noite inteira, além de achar um método de viagem super eficiente. Vivo lendo sobre pessoas que são contras passar a noite em um trem, eu penso completamente o contrário, dormir no trem faz a viagem ter mais cara de viagem. Eu já tive experiências tanto positivas quanto horripilantes em trens noturnos, mas isso é história para outro post.

Alguns meses antes da nossa viagem um acidente com um trem na Tailândia deixou vários feridos e alguns mortos, não vou mentir e dizer que não fiquei preocupada, mas eu sabia que a rede ferroviária do país era muito boa. Nós já tínhamos conhecido a estação Hua Lamphong uns dias antes porque o trem para Ayutthaya sai do mesmo local. Eu já tinha me horrorizado com o banheiro da estação, então já tinha me preparado para o que me aguardava.

Com medo de não conseguir um assento leito em um vagão com ar condicionado (Eu li um blog de um casal de americanos que viajou com 2 crianças no trem sem ar e sentados porque deixaram para comprar os tickets quando chegassem em Bangkok e fiquei morrendo de medo de terminar igual) nós acabamos comprando as passagens de trem online em um processo que só pode ser descrito como tenso.

A ferrovia tailandesa não tem um site com vendas próprias, ou seja, você tem que comprar por uma agência e a compra não é tão simples. Nós usamos o Seat 61 para conhecermos mais sobre os trens Tailandeses, lemos tudo loucamente, ele foi útil até para decidirmos entre viajar de primeira ou segunda classe. Já para comprar as passagens usamos o http://www.thailandtrainticket.com .
A compra não foi tão simples quanto parece. Primeiro você entra no site, escolhe o trem, o tipo de assento, insere todos os seus dados e… só! Seus dados são enviados para uma central e em menos de 24h vc recebe um email com um link para fazer o pagamento com cartão de crédito. Não te dão nenhum comprovante, nada! Depois vem a parte mais surreal, rezar para que os tickets estejam no seu hotel em Bangkok quando vc chegar.

Não vou mentir, eu estava tensa! Muito tensa!! Mas assim que chegamos no hotel de Bangkok os tickets estavam nos esperando bonitinhos dentro de um envelope.

Os trens de Bangkok para Chiang Mai são divididos em 5 classes:

– Primeira classe com ar condicionado: Os vagões de primeira classe são cabines que podem ser trancadas, deixando sua mala dentro. Dependendo do horário do trem as cabines podem ser para uma pessoas (com uma cama única e estreita) com uma portinha ligando a outra cabine (nada românticas para quem vai em lua de mel) ou uma cabine com duas camas (uma superior e uma inferior do mesmo tamanho. Ambas tem ainda uma pequena pia e um espelho, além de um ponto de tomada. Custa uns 1400 bath (140 reais).

– Segunda classe com ar condicionado: São dois assentos largos que viram a cama inferior (bem larga) e a cama superior que é montada quando puxada da parede. Cada cama tem ainda um ponto de luz e um de energia. Escolhemos essa pois dava para dormir com a Julia na cama inferior. A privacidade fica garantida com uma cortina mas as malas vão espremidas embaixo do assento. Aqui fica uma ressalva minha, embora existam dois lugares para mochilões, só um pode realmente ser usado para colocação da mochila, já que o outro serve para guardar uma bandeja que quando montada vira uma mesa para jantar e café da manhã. Existem uns maleiros no teto também. O vagão fica muito frio durante a noite então meu conselho é, levem um casaco!!! Eles oferecem um travesseiro, lençol e cobertor, todos estavam limpos quando pegamos.
No final de cada vagão existem dois banheiros (um tradicional e um dos que tem que agachar) e uma pia larga do lado de fora dos banheiros. Como todo trem, o banheiro estava usável no início e impossível de se aproximar no final. A principal diferença entre os banheiros da primeira e segunda classe é que os da primeira tem chuveiro e são usados por um número menor de pessoas, obviamente, mas não vi ninguém impedindo uma pessoa da segunda classe de entrar na primeira e usar o banheiro.

   

– Segunda classe sem ar condicionado: Igual a segunda classe com ar.

– Terceira classe com ar: Assentos que só inclinam um pouco e não viram camas, bem desconfortáveis. Sem contar que cabem 3 pessoas de cada lado do vagão, é chulé e baba para todo lado, gente dormindo no meio do vagão no chão. A passagem é bem barata, mas acho que não paga o desconforto.

– Terceira classe sem ar: Os bancos são DE MADEIRA!!!!! FUJA!!!!

Nós optamos pelo trem que sairia às 18:1o e chegamos em Chiang Mai um pouco depois das 8h. Pegamos dois assentos, um de cama superior (mais barato – Bath 791, uns 75 reais) e um de cama inferior (um pouquinho mais caro – Bath 881, uns 85 reais). Crianças até 3 anos não pagam passagem. Além desses valores pagamos uma taxa de agência de 150 bath/pessoa e uma outra taxa de 100 bath para entrega no hotel. Você também pode pegar os tickets na agência deles em Bangkok (e pagar uns 100 bath/10 reais) ou na própria estação, mas aí a taxa é um pouco mais cara (300 bath)

No nosso trem tinha um vagão restaurante com umas panelas nojentas e um clima de boate. Fiquei com nojo e saí correndo de lá. Ah! As baratinhas andam por todas as partes, o que meio que acaba com a fome, né?

Durante a viagem o trem faz várias paradas, principalmente durante a manhã. Dá para descer e comer umas coisinhas pelo caminha, observar as pessoas, os muitos cachorros que ficam nas estações. Nunca da para saber se a parada é curta ou longa, tem que ficar de olho nos sinais sonoros.

Na minha opinião a experiência de andar no trem foi o que fez a viagem para Chiang mai valer a pena (eu não curti a cidade, depois explico o porque)! Demos muita sorte e pegamos uma noite de lua cheia maravilhosa, além a luz do amanhecer que foi uma das mais bonitas que eu já vi, amarela, suave, quase que um poema (alma de fotógrafa, não pode ver uma luz bonita que se apaixona).

 

O que eu achei que valeu a pena:

– O preço – é barato!!!

– A largura dos leitos;

– A mulher que arruma a cama em 1 minuto. Nem pense em pedir para a funcionária arrumar a sua cama e enquanto isso dar uma escapadinha no banheiro, elas são tão rápidas e tão eficientes montando uma cama que é quase um espetáculo a parte. Não perca.

– A praticidade de sair e chegar de uma estação DENTRO da cidade, não tem preço!

– Não ter que despachar as mochilas.

O que eu achei que não valeu a pena:

– A comida! Deixa eu explicar, foi uma das poucas comidas que não teve graça da Tailândia inteira. Foi cara para os padrões Tailandeses (acho que foi uns 7/8 dólares) mas, veja bem, se você não conseguiu comprar uma comidinha para levar com vocês (nosso caso) ou não tem muito nojo (a higiene do local não é das mais saudáveis, com baratinhas correndo por todos os lados), você vai sobreviver!

  

Na nossa janta veio: sopa, um curry vermelho, um refogado de frango e legumes, arroz e abacaxi!!! Deu para nós 3 comermos. Tava uma delicia? Não! Mas já comi pior na vida.

 

O café da manhã é bem exótico para os meus padrões Brasileira que gosta de café/misto/yogurt/suco no café da manhã: sanduíches com batata frita e catchup!!!! As batatas estavam horríveis e para mim são intragáveis pela manhã. Os sanduíches também era bem ruins. O do Junior foi pão com uma salsicha assustadora e presunto. 😰

– O banheiro! Mas isso é assunto para uma post exclusivo!

– O lugar para colocar as mochilas é muito restrito. Só tem espaço para uma mochila, sob o outro assento fica uma bandeja que vira a mesa, ou seja, impossível colocar a mochila ali.

Sudeste Asiático

O trem de Bangkok para Ayutthaya

Ayutthaya5

Ayutthaya é uma cidade próxima de Bangkok que é um patrimônio cultural da Unesco. Ela foi a capital da Tailândia até 1767 quando foi saqueada e parcialmente destruída pelo exército da Birmânia.
Por ser muito próxima de Bangkok (A cidade fica há 75Km da capital) ela se torna uma bate-volta perfeito para um dia de passeio.
Existem muitas maneiras de se chegar até ela, muita gente vai de tour comprado por agência, em um pacote que pode ser só de van ou van+trem ou ainda barco+van. Tem as linhas regulares de ônibus que vão até a cidade. Também dava para ir só de trem, o que torna a viagem um pouco mais longa, mas muito mais interessante para quem adora uma viagem sobre trilhos (tipo, eu!). O trajeto dura 2h e os trens saem praticamente a cada hora. Tem alguns trens que são expressos e fazem o trajeto em um pouco mais de 1h30. Eu estava doida para experimentar os trens asiáticos. Ir de trem também é a forma mais barata de se chegar em Ayutthaya, já explico o motivo.

Ayutthaya7

Os trens para a cidade saem da estação Hua Lamphong Station, uma espécie de estação central de Bangkok e de onde saem trens para diversos lugares, inclusive o trem noturno para Chiang Mai que pegaríamos alguns dias depois. Chegar na estação foi fácil, pegamos o Skytrain na estação do nosso hotel, descemos e fizemos baldeação para o metrô (MTS) e seguimos até a estação Hua Lamphong que fica do lado da estação de trem. Gastamos 88 bath para duas pessoas nesse trajeto de Skytrain e metro. Vale lembrar que crianças menores de 5 anos não pagam nos transportes públicos na Tailândia.

A estação de trem é um pouco precária e suja. Achei feia, mas bem menos feia do que a estação que iríamos encarar em Hanói. Tinha um balcão com umas duas pessoas que falam um inglês razoável, uma praça de alimentação com alguns restaurantes (não comemos em nenhum) e não tem banheiros! Isso mesmo! Não existem banheiros na estação, se você tiver com muita vontade, na rua, na lateral da estação, existe uma espécie de banheiro químico/trailer com alguns toaletes. Me aventurei em um e desisti quando chegou a minha vez, o sanitário era o de agachar e tinha água (e xixi) por todos os cantos. Então fica a dica: vá ao banheiro antes de sair do hotel ou espere para fazer no trem, não é super limpo mas como eu fui antes do trem sair da estação ele estava usável.

ayutthaya3

Perdemos o trem das 9h e acabamos pegando o de 10:40 que não era o expresso, então já sabíamos que faríamos a viagem longa. A estação estava relativamente cheia e para que gosta de observar pessoas ela é um paraíso! Famílias, monges, turistas, todo mundo misturado! Uma delícia.

ayutthaya4

No caminho para Ayutthaya passamos nosso primeiro perrengue da viagem. Quando compramos a passagem, simplesmente pedimos tickets para Ayutthaya, nos custou 40bath (20bath/pessoa) e nós ficamos impressionados em como aquela viagem era barata, só que tinha uma pegadinha: esse era o preço da terceira classe sem ar condicionado (até aí ok) e SEM lugar marcado! É que os trens que saem de Banhkok e passam em Ayutthaya normalmente fazem viagens muito longas, então eles deixam para vender os assentos marcados para as pessoas que vão encarar longas horas de viagem. Resumo da história, passamos duas horas pulando de assentos conforme o trem ia parando nas estações e novas pessoas chegavam para ocupar os seus lugares.

Existem 3 tipos de tickets nesses trens: os de segunda classe com lugar marcado, ar condicionado e assentos confortáveis e os de terceira classe sem lugar marcado, com banco duro e ar condicionado natural. Meu conselho é: vá ciente de que o trem é cheio, que quando o trem não está em movimento faz muito calor e que existem alguns pouco lugares que não são numerados mas você vai ter que correr pra pegá-los. No mais, relaxe e observe como tem gente interessante andando nele.

Ayutthaya5

Ayutthaya6

Ayutthaya2

A volta foi mais tranquila. Também pegamos o trem sem ar mas dessa vez com lugar marcado e ele estava bem mais vazio do que a ida e conseguimos voltar tranquilamente. A passagem de volta é mais barata do que a ida, a nossa custou 15 bath por pessoa. Na estação de Ayutthaya tentaram nos empurrar a passagem de primeira classe que custava 160 bath, quando eu disse que não queria e preferia a terceira classe o bilheteiro fez uma careta mas me vendeu sem problemas. Julia curtiu bastante o passeio de trem e dormiu quase que toda a ida e uma parte da volta.

Bom, sobre ser a forma mais barata de visitar a cidade. Pelas minhas pesquisas ir de van custa 70 bath, de van-barco , tinha um outro que oferecia um tour de bicicleta por 950bath (oi?!?!?!), de trem gastamos 35bath/pessoa!!!! É realmente muito fácil chegar na cidade, não vale a pena pagar uma agência para intermediar a viagem!!! E não caia na armadilha da agência que diz que seu diferencial é ter guia, alguns motoristas de Tuc-Tuc falam bem inglês e podem servir de guias e motoristas. Um google nos templos também ajuda e eles tem uns livrinhos que contam toda a história da cidade, de graça!