Sudeste Asiático

Eastin Grand Hotel Sarthon –  Nosso hotel de Bangkok

Bangkok tem tantas opções de hospedagem que eu confesso que quase não consegui escolher. A princípio tínhamos duas escolhas, ficar em um hotel mais barato (e acredite em mim existem uns bons que são BEM baratos) ou nos dar o luxo de ficar em um 4 estrelas pagando o valor de um 2/3 estrelas no Rio de Janeiro. Como era meu aniversário e nós tínhamos a desculpa que precisávamos ficar em um lugar com uma ótima infraestrutura por causa da Julia, além de um lugar para descansar depois de tantas horas de voo, acabamos escolhendo o Eastin Grand Hotel Sathorn.

Desde o início do planejamento eu sabia que não queria ficar na área da Khao San Road porque é conhecidamente tumultuada e não tem nem metro e nem Skytrain. Durante as pesquisas eu vi que a área de Sathorn não tem nenhum grande atrativo turístico mas é bem central e próxima de vários pontos que nós queríamos visitar. 

O hotel tem um ponto que conta muito a favor, tem uma estação do Skytrain com conexão direta com ele! Isso mesmo! Tem uma passarela que sai do hotel e te deixa dentro da estação.  Quando reservamos as diárias estavam em média R$250 reais com café da manhã, o que é bem acessível para um hotel com os luxos que ele oferece.

  

O impacto da chegada já é grande, você entra e já dá de cara com um hall com um super pé direito gigante. Nessa área tem um piano bar (chegamos a ver um pianista tocando e a Julia ficou enlouquecida, queria tocar de qualquer forma), o concierge (super prestativos! Um deles era europeu e nos ajudou várias vezes) e o balcão de recepção. Nos hospedamos duas vezes no Eastin Grand e tive duas experiências completamente destintas. Na primeira vez foi só amor! Fomos bem tratados, nossos tickets do trem pra Chiang Mai estavam separados, nos colocaram em um quarto maravilhoso! Na segunda… Nós só ficaríamos a última noite no final da viagem em Bangkok, como era só para dormir, reservamos um quarto de família em um hostel perto do Eastin Grand, quando chegamos lá o quarto era até legal mas tinham vários insetos (bedbugs?) na cama! Estávamos exaustos e famintos! Decidimos tentar um quarto do Eastin. Bom, andamos até lá e na recepção nos disseram que o quarto estava R$450 e só tinha cama de solteiro. Frustados, decidimos ir jantar no restaurante do hotel, lá aproveitamos a internet para ver se ainda tinha vagas pelo Booking. Para nossa surpresa, não só tinha vagas como o quarto custava R$280 reais e tinha cama de casal!!!!!! Reservamos e eu voltei na recepção para falar com a mesma menina, ela ficou com raiva que reservamos pelo Booking e foi grossa. Mas azar o dela!!!

   
  

Em ambas as estadias ficamos em um quarto em andar alto. Da primeira vez no 24 e na segunda no 21. A vista é bem legal e foi perfeita pra gravar um stopmotion do amanhecer e da cidade frenética que ficou muito legal. Optamos por um quarto de casal e a Julia dormiu na nossa cama. Em nenhum momento isso foi um problema porque a cama era King – imensa!!!!! O quarto era grande, espaçoso, com um banheiro gigante, recheado de coisinhas. Tinha geladeirinha e cafeteira. Uma das paredes é toda de vidro! Eu amei porque dava uma sensação meio que de Lost in Translation. Não tem janela que abra, o que me pareceu bem sensato!

  

O hotel tem dois restaurantes, além do bar da piscina e o do Loby. Um restaurante fica no andar da ligação com o Skytrain e que é mais chique (vai ter um post só para ele) e o do café da manhã fica no quarto andar.

Muita gente escolhe esse hotel pela piscina mas vou confessar que o que eu mais amei foi a comida!!!!! O café da manhã é gigantesco!!!!! Vai até as 10h da manhã e é um super bunch. Vários sucos, pães, uma máquina de panqueca, frutas, geleias, além de duas bancadas de comidas!!! É que os asiáticos não comem o café da manhã como o nosso. Eles não comem pão com suco ou cereais, eles comem um caldo com macarrão de arroz e uns din suns ou comida mesmo, arroz com frutos do mar. Eu que como de tudo, aproveitei! Fiz dia de café da manhã saudável, dia do café da manhã oriental (o que eu mais gostei), dia do cadinho (um cadinho de cada coisa). Os funcionários do restaurante são muito fofos e nos trataram muito bem. Crianças têm direito a pratinhos e canecas fofas, além de paparicos dos funcionários.

Dica: se você gosta de comida oriental, experimente TUDO!!!!

  

Julia curtiu a melancia! Nesse dia ela comeu 7 fatias!!!!

  

Piscinas de bordas infinitas andam bastante na moda. Eu confesso que adoro! A piscina do Eastin Grand não fica no último andar, não me perguntem o motivo.  Ela fica no 14 andar e é relativamente baixa se considerarmos a altura do hotel. A piscina não é gigante mas é razoável. No dia do meu aniversário passamos a tarde inteira nela e estava bem cheio porque o dia estava lindo (por isso que pegamos esse pôr do sol incrível! Valeu São Pedro!!!). Na borda da piscina ficam uns nichos que são uma delícia, quando chegamos eles estavam ocupados mas esperamos um esvaziar. Em uma das laterais também tinham umas espreguiçadeiras de madeira. Não tinha piscina de criança mas na borda tem um espelho de água que fez a felicidade da Julia. Comemos um sanduíche no bar da piscina e estava bem gostoso. O chá gelada também era ótimo!

A parte bizarra ficou por conta dos hóspedes que iam até a piscina, faziam uma selfie e voltavam para os seus quartos. Tinha um grupo de japonesas hilárias! Também vimos bastante brasileiros pelo hotel. 

 

Bom, para terminar. Eu adorei o hotel mesmo com o pequeno estresse com a recepcionista e ficaria nele sempre que fosse para Bangkok.