Disney, Estados Unidos, Orlando, vegetariando pelo mundo

Vegetariando pelo mundo – Be Our Guest – o restaurante da Fera no Magic Kingdom

Restaurante Be Our Guest

Tá! Eu não vou mentir! Eu AMO a Bela e a Fera!!! É o meu desenho favorito desde que eu era pequena!! Quando eu fui para a Disney com 14 anos eu trouxe TUDO da Bela: cofre, Globo de neve, Caixa de jóias, canetas e até uma boneca (Eu ainda brincava de bonecas com 14 anos?!?!?! Claro que não! Mas eu trouxe mesmo assim! Aí guardei para quando tivesse uma filha, dentro da caixa original, toda linda, dei para a Julia quando ela fez dois anos e hoje a boneca está toda descabelada! hahahahaha), mas a Julia não gosta de princesas e não estava nem aí para conhecer o castelo da Fera porque ela nunca conseguiu nem terminar de assistir o filme! Em nenhuma das 200 vezes que eu tentei obrigar ela a assistir (cadê minha medalha de melhor mãe do mundo?). Hoje ela gosta do Live Action mas quando fomos para a Disney ela ainda não tinha assistido.

Mas o fato é que eu queira muito ir, então, eu obriguei a família inteira a ir comigo!!! 😀 Arrumar a desculpa foi fácil, é um dos restaurantes da Disney que tem comida ao invés de lanche! Os preços são bem razoáveis no almoço! Tem opções vegetarias e veganas!! É o CASTELO da Fera!!!!!

Eu já sabia que as reservas esgotavam MUITO rápido e que no My Disney Experience as reservas abrem com 6 meses de antecedência, então antes mesmo de ter uma reserva de hotel, passagens para Orlando ou qualquer outra coisa, eu tratei de garantir a minha reserva no restaurante!!!! Todo o roteiro foi montado tendo essa reserva como base porque as mesas realmente esgotam com muita antecedência e 3 meses antes da viagem já não tinham mais opções de reserva para os dias que ficamos em Orlando (acho que não sou só eu que adoro a Bela e a Fera).

Dá para tentar comer por lá sem reserva, eles abrem uma fila para pessoas que não conseguiram reservar mas as filas são longas e na parte de fora e aberta do castelo o que pode ser penosa nos dias quentes.

O restaurante fica na New Fantasyland, terra que escolhemos para passar a maior parte do nosso primeiro dia no Magic Kingdom já que é a área com mais atrações para crianças pequenas.  A entrada do castelo fica do lado da atração Tales with Bele onde as crianças brincam de interpretar o filme e conhecem a Bela. O Castelo parece enorme por fora devida a um truque de perspectiva. E todos os detalhes realmente remetem ao filme.

Restaurante Be Our Guest detalhes

A reserva

Nossa reserva estava marcada para 13:50 e eu estava bem apreensiva de não ter tempo de almoçar e depois assistir a parada da tarde, mas já tinha lido que não adianta chegar com mais de 15 minutos de antecedência porque eles não te deixam entrar, então 15 minutos antes da reserva já estávamos lá para aguardar nossa mesa. Quando você avisa que tem uma reserva, te direcionam para um quiosque onde procuram a sua reserva online. A menina demorou 20 minutos para achar a minha! Mesmo comigo mostrando para ela a reserva confirmada no My Disney Experience. Foi bastante estressante porque ela falava como se a reserva não estivesse lá, depois ela cismou que meu nome era outro (oi?!?!? E ficava me perguntando se meu nome era Monica), no final ela descobriu que minha reserva estava com os meus dois sobrenomes e ela estava procurando só pelo último!

Passado o estresse, entramos pela porta do castelo para encararmos OUTRA fila! Não é porque você fez uma reserva que vai se livrar de mais uma fila na Disney. E essa foi longa, perdemos mais uns 20 minutos, ou seja, Parada da tarde perdida! Mas tudo bem, nós ainda teríamos outro dia no Magic Kingdom então dava para assistir outro dia. Nessa fila você fica em um corredor, perto de várias armaduras e no final é  direcionado para um Totem onde você faz o seu pedido e de lá vai para o caixa pagar.

O restaurante é bem peculiar e uma das coisas que mais chamou a minha atenção é que eu já poderia ter feito o meu pedido 30 dias antes do dia da reserva e até 10 minutos antes do horário da reserva pelo aplicativo My Disney Experience. Prático, né? Na verdade o Be Our Guest é um restaurante tipo Quick service disfarçado de serviço de mesa. Os pedidos são feitos pelo My Disney Experience anteriormente ao horário da reserva ou em totens eletrônicos. Nós não fizemos previamente, então tivemos que passar pelos Totens. Mas não ache que você vai furar fila só porque já fez o pedido, você vai entrar na fila junto com todo mundo.

Depois de fazer o pedido é só escolher uma mesa de um dos 3 salões para sentar e esperar a comida. Quem está usando uma Magic Band tem o pedido entregue na mesa através do geolocalizador da pulseira. Quem está sem, recebe uma rosa depois de fazer o pedido, que é um pager e serve como norteador para a comida chegar na sua mesa. A comida vem até a mesa dentro de uns carrinhos de madeira super fofinhos que por algum motivo me lembram de Hogwards.

Quando sentamos uma das atendentes veio dar uma olhada na nota fiscal, não sei se fazem isso sempre mas ela olhou a nossa.

Os Salões

O restaurante se divide em 3 áreas e você escolhe aonde vai sentar. A maior área é o Salão de Baile. Lá os detalhes fazem toda a diferença. Neva nas janelas, o teto tem os anjinhos que aparecem no filme, os candelabros são espetaculares. Foi a área que escolhemos para sentar.  É também o maior salão e comporta muita gente.

Restaurante Be Our Guest salão

O segundo salão é a parte da Fera, ou a Ala Oeste. Uma área bem escura onde fica a rosa, uma holografia incrível, e as pinturas rasgadas, como no filme. Por sinal tudo parece que foi destruído. A luz fica aumentando e diminuindo como se estivesse caindo um temporal lá fora. Eu achei uma área muito escura e não gostaria de comer ali, mas vale a pena dar uma passada lá para conhecer.

Restaurante Be Our Guest salões

O terceiro salão é o que lembra uma caixa de música, a Rose Gallery. Tem uma estátua da Bela e da Fera dançando que fica girando. É o salão mais sem graça, na minha opinião. Parece que no jantar é aqui que a Fera recebe seus convidados.

Restaurante Be Our Guest rosa salão

A comida 

Bom, para começar, vale a pena dizer que o restaurante da Bela e a Fera é um dos restaurantes com mais opções de comidas vegetarianas do Magic Kingdom. Nós pedimos uma sopa de cebola (era vegetariana na época mas que teve sua receita alterada recentemente e não sei porque colocaram um caldo de carne na receita. Ela estava deliciosa e embora não seja mais uma opção para os vegetarianos, eu super indico para quem come carne, é gostosa de verdade. No menu ela ainda aparece como opção vegetariana, mas essa história que eles colocaram um caldo de carne deu o que falar há alguns meses. Vale perguntar primeiro.), uma salada de Quinoa (opção vegana! É uma Quinoa cítrica, com uma salada verde bem fresquinha, vagem, batatas douradas e um molho cítrico) e um Quiche de vegetais (O Quiche também é uma opção vegetariana já que leva ovo e manteiga, e também vem com uma salada verde e um molho cremoso). Os pratos não foram caros, a sopa custou menos de 7 dólares e o Quiche e a Quinoa 13 dólares cada um. É um preço razoável para comida de verdade. De sobremesa eu comi um Éclair que estava ok. O Marido passou a sobremesa mas tinha Sorbert como opção vegana. Uma outra opção vegetariana era a sopa de batata.

Esses foram os únicos pratos vegetarianos e veganos que achamos no cardápio. Para quem quiser dar uma olhada nas opções, só entrar no LINK. 

Não provei o “Grey Stuff” porque comida cinza não estimula nem um pouco o meu paladar. rs.

Restaurante Be Our Guest comida vegetariana vegana

 

Valeu a pena?

Olha, só de comer alguma coisa que não é fast food já faz a comida valer a pena na Disney! É a melhor comida que eu já comi na vida? Não! É cozinha francesa para americanos, mas ainda sim fresca e saborosa. Além de comer com talheres e louças de verdade né? Aqui nada é de plástico como na maior parte dos Quick Services da Disney.

O valor não é abusivo e os detalhes do restaurante são fenomenais. Voltaria todas as vezes que for no Magic Kingdom… desde que eu consiga fazer a reserva!

Vale mencionar que o jantar esgota mais rápido do que o que o café da manhã e o almoço. E que a única refeição que conta com o personagem (A Fera) é o jantar. Não entendo porque não colocam a Bela também e em todas as refeições. Reforçando também que Café e almoço são Quick services mas jantar é Table Service (restaurante à la carte com pedidos feitos na mesa). O jantar também é mais caro, embora o cardápio seja bem parecido.

Outra coisa que merece ser observada, não é um restaurante rápido, então se seu tempo no Magic Kingdom é curto e você só programou um dia para o parque, melhor comer em outro local. Aqui você vai gastar mais tempo do que em um restaurante de Fast Food.

Para quem tem o plano de refeições da Disney o valor descontado é de um crédito de Quick Service no café e almoço e 1 crédito de Table Service no jantar.

Disney, Estados Unidos, Orlando, vegetariando pelo mundo

Vegetariando Pelo Mundo – Café da manhã com personagens no Tusker House no Animal Kingdom

Antes de viajar para Orlando eu li um site gringo chamado vegandisneyworld.com inteiro! É uma ótima fonte de informações para quem é vegano ou vegetariano e está morrendo de medo de não ter opções de alimentação nos parques.  No blog o autor elege o Tusker House como o melhor buffet da Disney para veganos! Imaginem a minha animação!!! Além de boa comida eu encontraria os personagens naquelas roupinhas lindinhas de Safari, mas é claro que eu fui só pela Julia! 😁

Nós fomos no restaurante no café da manhã, logo após aproveitarmos nossas extra magic hours no Safari. Agendei o café da manhã para as 9:15 pelo my Disney experience com meses de antecedência. Como acordamos muito cedo nesse dia para fazer o check out do hotel e ainda aproveitar as extra magic hours (que nesse dia forma pela manhã) chegamos no restaurante  morrendo de fome.

Quem não tem direito a extra magic hour por estar hospedado fora do complexo Disney, minha dica é marcar o café da manhã o mais cedo possível. Quem tem reserva bem cedo pode entrar no parque antes da abertura para o público geral, e aí quando sair ainda aproveita o Kilimanjaro Safari bem cedo e antes da atração lotar. No post sobre o Animal Kingdom eu explico porque acho que o safari é muito melhor aproveitado pela manhã o que durante o resto do dia.

O restaurante

O restaurante fica na área da África do parque e, na minha opinião,  sua localização é um pouco escondida. Ele fica em uma esquina perto do teatro do Rei Leão, fiquem de olho na placa da primeira foto do post, foi por ela que eu me achei. Tem algumas plaquinhas também, mas bem discretas. A entrada é meio feinha, com um aspecto meio desleixado, mas é de propósito! Não se assuste, lembre que você está na África, uma África cenográfica, mas ainda sim uma África.

Chegamos 20 minutos antes da hora marcada e um dos funcionários da recepção explicou que teríamos que esperar alguns minutos para entrar e mostrou onde poderíamos estacionar o carrinho da Julia. Depois de esperarmos um pouco, fomos conduzidos até a nossa mesa, que ficava fora do são principal, em uma espécie de varanda fechada. Gostei desse pedaço porque como o salão é muito grande e muito cheio, nessa parte tivemos um pouco mais de privacidade. O restaurante tem ainda um outro salão que não estava sendo usado no horário que nós fomos.

Por estar na área da África o ambiente reproduzido é o de um mercado africano, com tecidos no teto imitando tendas, musica ambiente tribal, os pratos e copos parecem artesanais. Como sempre a Disney pensa em todos os detalhes e nesse restaurante não seria diferente. As comidas ficam dispostas como se fossem barraquinhas de uma feira/mercado.

Os personagens

Os personagens do restaurante são o Mickey, a Margarida, o Donald e o Pateta. O Donald é o anfitrião do Safari, então ele sempre estará presente, os outros podem mudar, mas pelo que eu li a troca de personagens não é comum nesse restaurante. Eu senti falta da Minnie mas quem também gostaria de encontra-la com a roupinha de Safari, no Adventure Outspot do parque ela está presente, junto com o Mickey.

Eles são muito atenciosos e param de mesa em mesa. Eles fazem um percurso estabelecido pelas mesas, e no meio do salão podem parar, sair por alguns minutos e voltar para a mesa que eles pararam, então não se desesperem, se chegar perto da sua mesa e um personagem sair, espere um pouquinho, em poucos minutos o personagem está de volta e certamente não deixará de passar pela sua mesa. Mas se em algum momento você perder a visita do personagem na sua mesa (porque estava pegando alguma coisa deliciosa no buffet, por exemplo), não corra atrás do personagem e interrompa uma outra mesa, o acompanhante do personagem vai te dar uma bronca, e com razão! Avise a sua atendente que você não conseguiu sua foto e ela vai conseguir que o personagem volte até você.

Assim que chegamos no restaurante o Donald e a Margarida estavam fazendo uma espécie de dança em trenzinho com  as crianças pelo salão. Algumas conseguiram até passear de mão dada com a Margarida e pela carinha delas foi a melhor parte do café. Muito fofo! Como a Julia é ultra tímida, não quis dançar nem comigo me oferecendo para ir junto (eu estava doida para ir! hahaha)

Pode ser que demore um pouco para os personagens chegarem até a sua mesa, já que são muitas mesas para passarem. O que observamos é que o Donald e a Margarida passam quase juntos, um seguido do outro, depois vem o Pateta e o Mickey.

Uma outra coisa importante, mesmo que você tenha o Memory Maker, não haverá fotógrafos dentro do restaurante! Então deixe sua câmera preparada. Quem compra o Memory Maker fica tão mal acostumado que acaba deixando a câmera de lado, mas se deixar aqui vai ficar sem fotos com os personagens!!!!

Já vi algumas pessoas que tiraram foto com algum dos personagens na porta, no dia que nós fomos não tinha nenhum por ali, só no salão mesmo.

 

A comida

Não é por acaso que o Tusker é considerado um dos melhores restaurantes da Disney. A comida é farta, saudável e para quem não aguenta mais tomar típicos cafés da manhã americanos, ela é um alívio!

Muitos itens frescos, frutas, legumes, comidas pouco processadas. Impossível não ser feliz. Já quem tem o paladar infantil pode torcer o nariz para as partes de comida mesmo já que na Africa, assim como em boa parte do mundo, é comum comer o que nós brasileiros só ousaríamos arriscar no almoço e no jantar.

São muitas opção de comida, meu melhor conselho é: aproveitem o restaurante com calma, provando todas as comidas que derem vontade, repetindo quantas vezes quiser.  O Tusker é um daqueles restaurantes que dá vontade de passar uma manhã inteira e sair rolando, sabe?

Assim que você chega senta na sua mesa já perguntam se você gostaria de café, chocolate quente e suco. O suco da casa é o Jungle Juice, um mix de laranja, maracuja e goiaba, que nós adoramos. Eles também servem o suco no Boma.

No centro do salão fica um balcão principal com vários tipos de pães doces, croissant, vários bolos e um BANANA BREAD PUDDING que era tão bom que eu comi três vezes!!!! Ainda tinha um creme para colocar por cima que estava divino. Foi o ponto alto da minha refeição junto com as bananas assadas que eu amo loucamente.

O cardápio é bem variado mesmo, além dos clássicos bacon, ovos mexidos, carne de hamburguer, torrada, iogurte, cereais, donuts, era possível encontrar algumas tortas salgadas, mingau (delicioso) de aveia com passas e canela de toppings, peru assado (eca!), waffle do Mickey, arroz, carne ensopada, tots (um bolinho de batata que os americanos amam), frango ao curry, abóbora assada (meu marido comeu e afirmou que estavam divinas, até repetiu), salada de feijão fradinho, salada de rúcula com manga, tabule. Super eclético! Para bebês eu vi algumas frutas e purê de maça.

Com essa quantidade de comida, dificilmente você vai querer almoçar, e por esse motivo eu acho que o restaurante não é caro! São duas refeições e você ainda encontra os personagens.

Já com relação às comidas vegetarianas: Existe um bom leque de opções vegetarianas e veganas, além de um balcão só com comidas sem glúten, o que eu achei fenomenal! Todos os restaurantes da Disney tem opções sem glúten, mas normalmente você precisa avisar da restrição, nesse não, elas estão expostas, basta se servir!!

O que eu mais gostei foi a variedade de comidas vegetarianas. Eram muitas opções mesmo! Nos bolos salgados, quando eu tinha alguma dúvida perguntava para o pessoal da cozinha e eles sempre ajudavam. Se você avisar a pessoa que tiver atendendo da sua restrição o chefe vai com você até o buffet para te explicar o que pode ser consumido e o que não pode. Nós não avisamos mas conseguimos nos virar sem grandes dificuldades.

Outra coisa que me chamou atenção foi a quantidade de comidas de verdade! Sério foi o lugar com a menor quantidade de comida processada de todos os lugares que  nós comemos de todos os parques.

 

Os Preços

Todas as refeições do Tusker House são com personagens! O café da manhã é bem mais barato do que as outras duas refeições (que por sinal possuem o mesmo valor, deferente dos outros restaurantes da Disney que normalmente cobram valores distintos para almoço e jantar). Menores de 3 anos não pagam.

Café:

  • Crianças 3-9 anos: 19 dólares
  • Adultos e crianças a partir dos 10 anos: 32 dólares

Almoço: 

  • Crianças 3-9 anos: 27 dólares
  • Adultos e crianças a partir dos 10 anos: 45 dólares

Jantar:

  • Crianças 3-9 anos: 27 dólares
  • Adultos e crianças a partir dos 10 anos: 45 dólares

Cardápio: Dá para olhar AQUI no site da Disney.

Dining Plan: Vale 1 crédito de Table service

 

Disney, Estados Unidos, Orlando, vegetariando pelo mundo

Vegetariando pelo Mundo – Restaurante Sanaa no Animal Kingdom Lodge

O Sanaa é o restaurante queridinho de todos os veganos que vão para a Disney. Não é difícil de entender o motivo, o restaurante tem os pratos veganos mais saborosos de toda a Disney. Localizado no Animal Kingdom Lodge, na Kidani Village, o restaurante tem um cardápio, além de ambientação, com inspiração Africana/Asiática e vista para a savana.

Há alguns anos atrás ele possuía um cardápio inteiro vegano, atualmente esse cardápio não existe mais, mas vários dos pratos ainda são liberados para quem não come nada animal.
Se você for agendar o Sanaa para o jantar, sugiro que escolha um horário cedo, entre 16:30 e 17h. Motivo: A vista ara a savana fica linda no pôr do sol. Como nossa reserva era para às 18h já chegamos com o dia quase escuro e não conseguimos ver muitas coisas. Dá para pedir uma mesa com vista para a savana quando você chega, nós não pedimos porque já estava escuro, então não adiantava. Quem vai cedo além dos janelões tem uma varanda do lado de fora que permite avistar os animais.

A ambientação do restaurante é super fofa. Pés de enormes baobás cenográficos ficam espalhados pelos salão e no teto várias lanternas gigantes ditam o clima do ambiente. As mesas parecem que estão dentro de formigueiros porque elas tem umas paredes irregulares terracota. É muito bonito.

 

A comida

 

A comida do Sanaa não foi feita para quem tem o paladar infantil. Esqueça os hambúrgueres e pizzas, aqui a comida é apimentada, bem temperada e agridoce e as combinações são bem mais exóticas do que as que você normalmente encontra em um parque da Disney. Talvez por esse motivo o restaurante não seja um dos mais populares do complexo. A inspiração da cozinha é Asiática/Africana então espere muitos ensopados, muito tempero, muito legumes e muito aroma. Na minha opinião o restaurante é quase um restaurante indiano. A comida passa bem longe do estilo do sudeste asiático, por exemplo, mas me lembrou muito as comidas indianas que eu adoro.

O prato queridinho do restaurante é um combo de 5 pães indianos que vem com uns molhos de acompanhamento. Você pode escolher entre 3 ou 9 opções. Enfie logo o pé na jaca e peça os 9 e entenda como o fator pimenta pode ter escalas crescentes de ardência. É uma delícia para que ama pimenta. Já quem não curte vai odiar! Mas dá para pedir só pelo pão mesmo, que é maravilhoso. Um dos pães é vegano e sem glúten e você pode pedir 5 deles. Nós pedimos os 5 diferentes. Nosso molho favorito foi o Chutney de Manga (eu amo! poderia comer todo dia) e um outro com base de pepino que era bem fresquinho.

As samosas não estão no cardápio regular, mas eu pedi e eles fizeram para mim. Eu amo Samosas, um enrolado indiano com um recheio de batata e uma massa que lembra a dos nossos pastéis. Geralmente picante e acompanhada de um chutney de manga. Não sei porque não aparece no cardápio regular, mas definitivamente é uma opção para os veganos.

É possível pedir um prato vegano com arroz, lentilha e um curry de legumes. Não pedimos mas pelas fotos que eu vi, parece delicioso.

Terminamos nosso jantar com frango amanteigado (para a minha mãe, que não é vegetariana) e um curry de legumes. Aqui tivemos o único problema com o restaurante. Nosso atendimento foi bem ruim. O rapaz que estava responsável pela nossa mesa, orientou que pedíssemos esse prato para a Julia e garantiu que não era apimentado e que era ótimo para o paladar infantil. Nossa sorte foi ter experimentado antes. O curry, embora delicioso, era tão apimentado que nem o meu lassi de manga abrandava. Nosso atendimento foi bem estranho, e em boa parte do tempo parecia que o cara só queria que nós fossemos logo embora. Ele não deixava nem que nós olhássemos o cardápio, ficava apressando, foi bem estranho.

Se seu filho está mais acostumado com o combo pizza, refrigerante, nuggets (eca!) não se desespere! O Sanaa tem um menu infantil com pizza, cheeseburguer ou frango na manteiga, qualquer um dos 3 pratos vem acompanhado de uma bebida e uma sobremesa. Ainda é possível pedir pratos infantis adicionais como porção de legumes, batatas tostadas, macarrão com queijo ou frutas.

Para quem quer dar uma olhada no cardápio antes de fazer a reserva, dá para ver AQUI.

A reserva pode ser feita pelo My Disney Experience

 

Conclusão

 

Vale a pena ir no Sanaa?

Vale! Embora um pouco mais caro, como todo table service, a comida é maravilhosa! Imperdível para quem gosta de comida com inspiração indiana, temperos e misturas de sabores. Voltaria sempre, mesmo tendo passado por uma experiência exótica no atendimento. Além disso, para quem não está hospedado no hotel, é uma forma de ver os animais bem de perto. Só não esqueça de reservar um horário antes do pôr do sol.

 

Espanha, vegetariando pelo mundo

Bate e volta de Madri: A Belíssima Toledo – Sugestão de um dia de passeio


Toledo é o Bate-Volta mais popular desde Madri. Fácil de entender, a cidade medieval fica há poucos minutos da capital espanhola. De trem são 33 minutos exatos desde a estação Atocha. De ônibus ou carro, mais ou menos uma hora. De qualquer forma é uma das cidades mais lindas da Espanha.
Conhecida por ser a cidade das 3 culturas, Toledo é uma cidade onde Muçulmanos, Judeus e Cristãos deixaram suas marcas através dos anos. A cidade murada é circulada por um rio bastante conhecido por nós brasileiros, o Rio Tejo, que conhecemos por cortar Portugal.
A cidade é famosa por seu aço, tendo sobrevivido por muitos anos da fabricação de armaduras, espadas e instrumentos de luta. A influência romana é facilmente percebida nas construções e nos dois vestígios dos aquedutos que ainda podem ser observados próximos ao Tejo. Já a influência Romana é facilmente percebida nas ruas estreitas e telhados que se tocam. Já a presença árabe é percebida nas casa com poucas janelas frontais mas com jardins internos belíssimos, além das duas mesquitas, das 12 que um dia existiram na cidade. Já o quarteirão judeu é, na minha opinião, a parte mais incrível da cidade. Além de estar localizado em uma dos seus mais belos mirantes, suas duas sinagogas e as lojinhas com artesãos fazendo o Damasquino em tempo real, ganharam meu coração.
Toledo chegou a ser a capital do Reino de Castela e foi na sua catedral que a Espanha foi oficialmente unificada em 1502.
Atualmente Toledo sobrevive da fabricação de facas e pequenos objetos de aço e principalmente do Turismo.
O roteiro será baseado no que é possível ser feito em um dia de bate-volta, mas recomento fortemente que você passe uma noite na cidade, já que dever ser incrível perambular por suas ruelas durante a noite. Nós nos arrependemos de não ter pernoitado por lá.

Vamos ao roteiro!!!

Chegamos em Toledo de trem. Os trens saem da estação Atocha em Madri e duram precisos 33 minutos, tanto na ida quanto na volta. Os trens são confortáveis, mas diferente dos trens que fazem o trajeto Madri-Barcelona. Os trens de Toledo não possuem vagão restaurante, só uma máquina de vendas de bebidas e snacks. A tarifa custa 20,60 euros ida e volta, 10,30 euros cada trecho. No entanto, se você for comprar só um trecho (porque vai usar Toledo como saída para outra cidade, por exemplo) a passagem sobe para 12,50. Nós compramos nossa passagem direto no site da Renfe . Foi tranquilo mas o site é bem chatinho. Depois faço um passo a passo de como fazer a compra.
A estação de trem de Toledo é uma graça, gaste um tempinho apreciando. Dentro da estação existe uma sala de informação turística. Fomos muito bem atendidos, ganhamos um mapa onde o rapaz marcou os pontos mais interessantes. Foi lá também que desistimos de comprar a pulseira turística.

Pulseira Turística – A pulseira custa 9 euros e dá direito de entrar em 7 atrações turísticas de Toledo: Real Colegio de Doncellas Nobles, Iglesia de los Jesuitas, Monasterio de San Juan de los Reyes, Mezquita del Cristo de la Luz, Iglesia de Santo Tomé (onde está guardado o “Entierro del Conde Orgaz”, ópera prima do El Greco), Iglesia del Salvador, Sinagoga de Santa María la Blanca. Eu acho que ela vale muito a pena! Se você quiser saber mais sobre ela, dá uma olhada no site Pulseira turística . O rapaz da informação turística nos fez desistir de compra-la assim que falamos que só teríamos 8 horas na cidade. Ele disse que era melhor escolhermos um só lugar para conhecer já que seria impossível conhecer os 7 lugares em 8 horas e ainda passear pela cidade. Ele tinha razão! Então se você for ficar uma noite, indico a pulseira, senão, escolha uma ou duas atrações que você tenha maior interesse e pague só essas entradas.

Para chegar na cidade saindo da estação de trem existem 4 opções: ônibus de turismo, ônibus comuns, táxis e seus pés.

– Ônibus de turismo: aqueles vermelhinhos que existem no mundo todo. Eles ficam estrategicamente parados do lado da porta de saída estação, ainda no estacionamento. Fazem dois percursos diferentes, o mais barato (9 euros), faz 10 paradas, mas somente 1 na cidade propriamente dita, em Alcázar. O restante é circulando a cidade murada. É um tour de mirantes. A segunda opção custa 13 euros e… é igualzinha a primeira! Só que no final você “ganha”uma taça de vinho e uma Tapa. Na minha opinião são uma furada já que a graça da cidade é justamente andar por ela.

– ônibus comuns: saindo da estação, vire para a sua direita, saia do estacionamento e você vai chegar em um ponto de ônibus. Daqui você pode pegar os ônibus 5, 61 e 62 para chegar até a cidade. São muito baratos, a tarifa custa 1,5 euros. São uma boa opção se você tem pouco tempo na cidade, já que você já vai economizar uns 20/30 minutos de caminhada.

– Táxis: Também ficam parados na saída da estação. Cobram 4 euros para te levar até a praça Zocodover. São uma boa opção se o grupo for de umas 3 ou 4 pessoas já que o preço será o mesmo do ônibus e você também economiza tempo.

– Seus pés: Nosso escolhido. Saindo da rodoviária, vire à direita e siga em frente, passe pelo ponto de ônibus e continue andando. O rapaz da informação turística vai te falar para andar até a ponte nova e depois (como está no mapa aqui de baixo em vermelho) virar à esquerda. Nós fizemos diferente. Viramos na primeira rotatória e fomos direto para uma das minhas vistas favoritas da cidade, a ponte Alcántara com o Tejo e parte da muralha (Caminho do mapa em verde). Depois de tirar 900 mil fotos contornamos a muralha por uma calçada super estreita até chegar em um sinal, atravessamos a rua e voltamos um pouco até passar por umas ruínas de um convento e chegamos na melhor dica que eu posso dar de Toledo, ESCADAS ROLANTES!!!!! Toledo é uma cidade alta e existem vários acessos a ela, todos com ladeiras bem cansativas. O ideal é você chegar no topo da cidade, que fica na praça Zocodover e de lá ir descendo. Perto da muralha e da ponte Alcántara existe uma das subidas normais, uma escadaria gigantesca que sobe até um mirante (Mirador), não vá por ela porque você já vai chegar no alto da cidade exausto, deixe esse caminho para a volta. Segue o mapinha até as escadas rolantes (Tem umas plaquinhas escritas Escalador, são essas que você deve seguir).

Plaza Zocodover – As escadas Rolantes terminam no Passeo Miradero,Siga em frente pela Calle Armas que você vai chegar na Plaza Zocodover. Principal porto de encontro de Toledo, a praça tem vários restaurantes e cafés. É um bom lugar para usar a internet já que é um dos pontos da cidade com acesso gratuito. Daqui saem os ônibus vermelhos (Hop on-Hop off) e o Trem turísticos, um trenzinho que custa 5,2 euros e é um passeio interessante para se ter uma vista geral da cidade. Com certeza o trenzinho agradará as crianças e certamente teríamos feitos se estivéssemos com a Julia. Nós aproveitamos para tomar um café no El Foro de Toledo e comer um bolo de Marsipan que estava divino! Por sinal, o restaurante tem vários tipos de Marsipan para quem já quer chegar na cidade comendo seu quitute mais tradicional. Do outro lado da calçada a doceria Sant Tome também tem uma grande oferta de Marsipans.

Museu do Exército – Seguindo rua Cuesta Alcázar chega-se na rua do Museu do Exército. Um prédio enorme. Nós não entramos mas aparentemente a vista lá de cima é espetacular. A entrada custa 5 euros e não abre nas quartas-feiras. Perto da entrada do museu tem uma ruela fechada que oferece uma vista linda da Catedral.

A partir daqui a minha dica é: ANDE SEM RUMO!!!! A cidade toda é incrível!!! Pontos que são imperdíveis:

– Catedral de Toledo – A catedral é lindíssima por dentro e por fora, aconselho fortemente que você dê pelo menos uma volta completa no seu entorno para ver todos os detalhes. Só a entrada que é salgada, 11 euros com direito a audio guia.


– Calle Comércio – Artéria fundamental da cidade, fica lotada, mas é cheia de lojinhas e cafés, além de prédios belíssimos.
– Mirador del Paseo – Perto do museu do Greco, esse mirador tem a segunda vista mais bonita de Toledo. Situado no bairro judeu, dá para sentar e ficar apreciando a vida!


– Museo del Greco – O museu do pintor Greco foi o lugar que eu mais me arrependi de não ter entrado. Ficamos com preguiça depois de termos andado tanto. É uma casa do século passado com várias obras do pintor mais importante que viveu em Toledo. Fecha às segundas e a entrada custa 3 euros.

– Sinagoga del transito – Uma das duas sinagogas de Toledo que foram preservadas (das 10 que já existiram na cidade). Hoje abriga o museu Sefardita. Entrada 3 euros. Fecha às segundas.

– Sinagoga de Santa Maria la Blanca – Uma sinagoga construída no século XII, que foi convertida em igreja católica no século XIII, já foi beataria para prostitutas arrependidas, já foi invadida por tropas do exército e depois voltou a ser igreja. O que impressiona é a simplicidade da sua faixada contrastando com o luxo e a beleza do seu interior. Aberta todos os dias. Entrada 2,8 euros.

– Monasterio de San Juan de los Reyes – Obra  de belíssima de arquitetura gótica. Foi construída pela rainha Isabel I para servir de mausoléu real, mas a rainha acabou sendo enterrada em Granada. Também foi construído para celebrar o nascimento do príncipe Juan e a vitória de Toro. Foi meu prédio favorito de Toledo. A visita é imperdível.


– Puerta del Cambrón – Saindo do monastério e seguindo para a esquerda é possível ver a Puerta del Cambrón. Uma das antigas entradas da cidade.

– Almoço: Depois de olhas uns 20 menus que não tinha nenhuma opção vegetariana acabamos achando um restaurante escondidinho chamado Alma de Toledo. A proposta do restaurante é oferecer comidas das 3 culturas e para a nossa surpresa tinham vários pratos vegetarianos e veganos. A comida estava deliciosa e o lugar é lindo. Comemos um combinado de Hummus com Falafel que estava de comer rezando e uns bolinhos de lentilha que também estavam ótimos. De sobremesa comemos um bolo de chocolate com cerveja que também estava fenomenal. Já o serviço foi muito lento!!! Demoramos mais de uma hora no restaurante, o que reduziu bastante nosso passeio e fez com que saíssemos correndo para não perder o trem. Recomendo fortemente o restaurante para quem está viajando sem presa. Já se seu tempo for curto, melhor optar por outro local. Para quem quiser saber mais sobre o restaurante o site deles é ESSE.