Parc Omega, um bate e volta de Ottawa para quem viaja com crianças

Parc Omega Canadá

Um parque praticamente desconhecido dos brasileiros que viajam para o Canadá, onde é possível ver de perto os principais animais da variada fauna canadense concentrados em um só lugar. Onde ainda é possível interagir com a maior parte dos animais que transitam livremente pela área livre do parque.

O Parc Omega fica em Notre-Dame-de-Bonsecours, uma cidadezinha perto de Ottawa, Montreal e Mont Tremblant. Nós passamos por ela quando estávamos indo de Mont Tremblant para Ottawa e vimos que mesmo com um pouco de neve, a estrada estava bem tranquila e que seria possível alugar um carro e ir até lá no único dia confirmado de sol que teríamos em Ottawa.

Parc Omega

A distância de Ottawa até o Parc Omega é de 80km, que nós fizemos em pouco menos de uma hora, mesmo errando o caminho e tendo que atravessar um rio na última balsa que sairia naquele dia. Já de Montreal são 140km de viagem, umas duas horas de viagem, o que na minha opinião já é um pouco mais cansativo, mas ainda possível de fazer.

Parc Omega

É um zoológico tipo aqueles que você faz um safari dentro do carro, sendo que em alguns pontos você pode sair e andar um pouco. Logo na entrada eles te entregam um mapa com a estradinha de 15km que passa por todo o parque e indica onde é possível sair do carro e onde não é. O mapa é bem explicativo, e ajuda bastante já que os animais são separados por setores, então fica mais fácil saber qual é o próximo animal que aparecerá no caminho.

Screen Shot 2018-05-01 at 18.36.12

Depois de passar pela cabine de entrada, o carro segue até a casa principal, uma cabine enorme onde é possível ir no banheiro, comprar souvenirs, lanchar a pequena lanchonete do parque e o principal, COMPRAR cenouras!!!! Para quem está programando o passeio com antecedência, minha dica é, passem em um mercadinho e comprem muitas cenouras! No parque o saco da cenoura custa 2,5 dólares. Foi o suficiente para dois adultos se divertirem durante todo o percurso. Usamos um saco só, mas só porque a pequena ficou com medo de dar comida para os animais porque eles são enormes. Mas se vocês tiverem filhos corajosos, ou estiverem em um carro com mais de duas pessoas, sugiro levar mais cenouras do que um saco e é aí que comprar a cenoura no mercado sai bem mais em conta do que no parque. Alimentar os animais é a parte mais divertida do passeio.

Na cabine principal é possível avistar um lago enorme onde há possibilidade de ver diversos pássaros. No dia que nós fomos os pássaros estavam fugindo do frio e não vimos quase nenhum. Mas aparentemente até castores vivem por lá. No inverno eles não ficam muito interessados em socializar.

A primeira parada é Trilha das Primeiras Nações. Aqui é possível sair do carro, dar uma volta em um outro lago, encontrar vários cerdos selvagens, também conhecidos como os Bambis mais lindos do universo! Eles ficam por lá, andando em bando e param o que estiverem fazendo para ver se você tem cenouras. Nós deixamos dentro do carro e eles ficaram um pouco decepcionados. Então meio que nos ignoraram ou fugiram. No inverno essa área estava com bastante neve fofa e foi uma aventura andar por lá. No verão é possível fazer picnics nessa área, o que deve ser bem legal. O lago está cheio de trutas que podem ser alimentadas durante os meses mais quentes.

Logo depois voltamos para o carro e conforme vamos seguindo a trilha vários animais passam pelo nossa carro: Alces, cerdos vermelhos, cerdos do rabo branco, javalis, perus selvagens, renas, búfalos. Essa parte é maravilhosa. Os animais estão livre e podem andar livremente por todo o parque. Aí começou a parte que eu não curto, lobos, raposas vermelhas e brancas, os mooses (alces enormes que são o símbolo do Canadá) e os coiotes ficam presos com grades. O espaço é maior do que as jaulas de um zoológico padrão, mas mesmo assim, estão aprisionados, né? Os ursos também ficam nas cercas. Não vimos nenhum porque no inverno eles hibernam. Dava para fazer um parque só com os animais soltos e deixar os que não socializam em seu habitat natural mesmo.

Dicas importantes:

  • Animais domésticos não são permitidos;
  • No verão é possível alugar algumas cabines e passar algumas noites no parque. Os valores ficam em média 150 dólares Canadenses mas dependem do tamanho da cabine e do número de pessoas que vai ocupar o lugar;
  • Os animais podem casuar alguns danos no carro, nós não tivemos nenhum problema, mas confesso que ficava tensa toda vez que um dos animais com chifres imensos se aproximava do carro querendo cenoura;
  • É possível alugar uns carrinhos de golfe enjaulados para andar pelo parque. É uma forma de proteger quem vai sem carro;
  • É possível sintonizar o carro em uma estação de rádio do parque, a FM 90.1 e ouvir várias dicas sobre os animais;

Informações essenciais:

Tickets em dólares canadenses:

Temporada de inverno (1 de janeiro à 18 de maio):

  • Adulto: 26,96
  • Idoso: 24,35
  • Crianças de 6 – 15 anos: 20,00
  • Crianças de 2 – 5 anos: 10,44
  • Pacote família (2 adultos + 2 crianças): 85,24

Tempo gasto na atração:

O trajeto de 15 Km dura em média 1 h30m, dependendo do tempo que as famílias pararem nas duas trilhas do parque onde é possível sair do carro. É bem fácil gastar umas 3/4 horas passeando por lá.

Para reservar os chalés e cabines:

Basta checar a disponibilidade AQUI e fazer a reserva.

Dá para juntar com outra atração?

Muita gente faz um bate volta até Mont Tremblant durante a manhã e o parque durante a tarde. Eu particularmente acho que ambos os locais merecem um dia inteiro de passeio (Mont Tremblant merece muito mais do que uma dia se você gosta de esquiar).

É uma atração perfeita?

Não!!! Os animais que estão ali, estão restritos a uma área delimitada, bem diferente do que vemos na natureza. Isso sem mencionar os que ficam cercados em áreas ainda mais restritas. É uma forma de mostrar os animais do pais para os pequenos? Sim. Para quem não tem como conhecer os diversos parques nacionais do país, porque vai no inverno, e a maioria está fechada, ou porque o tempo de visita é curto, é uma opção, mas ver os animais soltos é muito mais educativo. Além disso tem todo o condicionamento com a cenoura. Os animais ficam enlouquecidos quando vêem um carro e já vem logo tentar garantir o seu quitute, o que nunca aconteceria na natureza. Procurei no site se o local tinha algum programa de resgate e tratamento de animais feridos, abandonados na natureza (como o acontece no Featherdale Wildlife Park) mas não achei absolutamente nada. É um pouco menos pior do que um zoo tradicional, é uma forma de levantar a discussão sobre confinamento de animais com as crianças, mas mesmo assim não me senti completamente confortável com a experiência.

Anúncios

10 comentários

  1. Que demais! Eu conheci muito pouco do Canadá, mas foi o suficiente pra me apaixonar. Espero conseguir voltar logo. Obrigada pelas dicas!

    Curtir

  2. Que delícia de parque, cheio de lindinhos! Deve ser maravilhoso ter esse contato tão natural com eles. Alias, as fotos ficaram incríveis!
    Muito legal esse mapinha que eles criaram mostrando onde encontrar cada um deles, deu muita vontade de ir e conhecer e dar cenouras para todos! rss =)
    Amei as dicas, não tinha ouvido falar ainda nesse parque mas já está na minha lista de lugares para visitar quando eu for para o Canadá! ♥

    Curtir

  3. Essa linha tênue é complicada né? Por mais que estejam soltos, é um ambiente falso, não o natural… Por um lado, é legal para conscientizar os pequenos, por outro, me dá uma pena dos animais…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s